isave melhora envelhecimento idosos

Com a contribuição do ISAVE, em vários projetos, envelhecer em Amares é fixe — esta pode ser a melhor conclusão do seminário realizado no dia 9 de Julho, no Salão Nobre da Câmara Municipal, após as intervenções da Provedora do Idoso e dos Presidentes da Comissão de Proteção do Idoso e da Câmara Municipal.

Cidália Abreu, Vereadora da Ação Social, abriu os trabalhos lembrando uma frase do Papa Francisco: “os idosos são a reserva da sabedoria da nossa comunidade”.

No primeiro painel deste seminário, Maria da Luz deu a conhecer alguns números sobre a realidade social e humana de Amares, com os seus 19 mil habitantes e cerca de três mil pessoas com idade acima dos 65 anos.

 

A presidente do ISAVE — instituição parceira de vários projetos em curso em Amares — dirigiu-se aos 19,1 por cento dos idosos que constituem a população portuguesa que hoje “dispõe de melhores condições de vida e faz com que vivam mais anos, o que desperta a atenção de mais agentes para intervir neste grupo populacional”.

Um novo estilo de vida “tem repercussões no processo de envelhecimento (normal ou patológico)... que depende da história pessoal, dos fatores sociais e culturais,  das condições de saúde e dos mecanismos adaptativos” - destacou Mafalda Duarte, Presidente do ISAVE, para quem “longe vai o tempo em que achávamos que os idosos eram como crianças porque há  uma diferença no processo de envelhecimento”.

“Essa diferença tem gerado políticas diferenciadas nos campos psicológicos, biológico e social em que nenhum deve ser descurado. A reforma é o principal marco de referência mas todos sabemos que as relações sociais e pessoais são menores mas são de melhor qualidade entre os idosos” — sustentou a Presidente do ISAVE.

Como envelhecer de forma bem sucedida? Esta é a grande questão que Mafalda Duarte colocou à plateia, cujas respostas passam por “aceitar o nosso processo, e mais que atividades físicas existem outros fatores que não devemos esquecer de forma a selecionar, definir e otimizar, através de estilos de vida, convívio social e cultural”.

Mafalda Duarte mostrou o seu contentamento por o ISAVE estar a contribuir para um envelhecimento de qualidade dos idosos de Amares, através da colaboração com diversos projetos em curso no concelho.

 

É FIXE ENVELHECER EM AMARES

Por usa vez, Manuel Moreira, Presidente da Câmara Municipal de Amares, ficou satisfeito com os números que mostram que “Amares coloca os idosos no centro da sua ação, quer como autarquia quer com as suas instituições, associações e dos Presidentes de Junta de Freguesias”.

Manuel Moreira destacou o combate à exclusão social e digital e não escondeu a alegria de ouvir um idoso de S. Vicente do Bico, há alguns dias, dizer-lhe: “já posso falar com o meu netinho, através da internet”-

Manuel Moreira elencou algumas medidas municipais como o pagamento de metade dos medicamentos a cerca de 300 pessoas ou as rendas a 75 famílias. “Alguns dirão que é pouco, mas é o que podemos fazer em termos de respostas sociais em que temos cobertura quase perfeita com a abertura do novo lar de idosos de Caldelas”.

Adolfo Barros, do programa PAIMA, Programa de Apoio aos Idosos do Município de Amares, deu a conhecer as suas atividades para evitar quedas e burlas, conceder benefícios de saúde física e mental que desenvolvem autoestima e sociabilidade.

O programa Clic@r na melhor idade foi apresentado por Marlene Lima como ferramenta de combate à exclusão digital em todas as IPPS e em oito freguesias, envolvendo 57 mulheres e 33 homens, numa parceria com o ISAVE.

O projeto Luz de Presença, da Associação Valoriza, envolve sessões de esclarecimento, teatro, festas temáticas, novas tecnologias, olimpíadas de seniores, passeios e visitas, convívio entre idosos das freguesias e férias na praia.

Esta conclusão deriva do trabalho apresentado por várias instituições que cuidam da terceira idade em Amares, entre elas, o Instituto Superior de Saúde (ISAVE) no Seminário de Apresentação dos resultados do Provedor do Idoso que dos três mil idosos, entre os vinte mil habitantes do concelho de Amares, a Provedora do Idoso, Gracinda Faustino detetou apenas um idoso em situação de isolamento por vontade própria e “muito poucos casos de violência”.

A enfermeira que há 40 anos abriu o Centro de Saúde de Amares revelou que “qualquer problema com um idoso é detetável e resolvido de imediato”.

Carlos Branco, da Comissão de Proteção do Idoso, elogiou o trabalho da Câmara Municipal, das IPSS e da Provedora do Idoso em Amares e aplaudiu a aprovação do projeto do Cuidador Informal na Assembleia da república.