isave jark belfast healthcare

Os estudantes do ISAVE — Instituto Superior de Saúde, em Amares, ficaram entusiasmados com as propostas de estágios e de trabalho que o Sistema de Saúde do Reino Unido proporciona e lhes foram apresentadas esta manhã por uma responsável de recrutamento da JARK Belfast Healthcare.

Dada a carência de enfermeiros no Reino Unido (Irlanda do Norte, País de Gales, Escócia e Inglaterra), Ludovica Piccinini, responsável de recrutamento desta empresa de recursos humanos explicou aos estudantes do ISAVE – Instituto Superior de Saúde como funcionam os serviços de saúde naquele território, como fazer um Curriculum Vitae (CV) apropriado, as exigências feitas por empregadores e as suas propostas nos setores privado e público.

Além de oportunidades de trabalho, com contratos a termo incerto, existem possibilidades de estágios na Irlanda e Inglaterra, para estudantes a partir do segundo ano  em todas as áreas de saúde. São uma porta aberta para o emprego futuro.

Face à curiosidade e entusiasmo de alguns estudantes, Susana Oliveira, do ISAVE, prontificou-se a ser a ponte entre os estudantes e a JARK Belfast Healthcare no sentido de receber propostas de estágios e os encaminhar devidamente.

 

Uma das propostas da JARK Belfast Healthcare consiste nos estágios de dois meses no Verão (Julho e Agosto) que constituem uma primeira e boa alternativa para todos os estudantes de enfermagem. Esta empresa dá apoio logístico, ajuda a encontrar alojamento e o serviço é pago de acordo com o Salário Mínimo Nacional.

O Sistema Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS) foi criado em 1846 e reformulado em 1974, assemelhando-se ao SNS de Portugal — explicou Ludovica Piccinini — embora tenham pequenas variantes nos quatro territórios que possuem também um sistema privado muito desenvolvido.

O destaque principal vai para os idosos cujos cuidados especiais absorvem muitos enfermeiros, embora se verifiquem também alguns problemas semelhantes aos do SS de Portugal: falta de equipamentos, falta de pessoal e hospitais sobrelotados em momentos de crise.

Ludovica Piccinini explicou as diferenças entre os serviços privados (mais flexíveis mas mais agradáveis e porta de entrada para o setor público) e os do estado, com estruturas maiores, mais financiamento e mais oportunidades de emprego.

“No Reino Unido não existe preconceito entre serviços privados e públicos de saúde” — assegurou Ludovica Piccinini, destacando que o setor dos lares de idosos está em franco crescimento, com 12.500 lares de idosos para uma população de 68 milhões de pessoas, sendo a maioria privados ou de organizações de caridade.

Ludovica Piccinini enumerou as exigências para entrar neste mercado de trabalho, quer como estagiários quer como profissionais, sempre com o aval da Nursing Midwifery Council (similar à Ordem dos Enfermeiros), sendo fundamental falar inglês.

Piccinini ensinou os estudantes do ISAVE a elaborar um CV eficaz, simples, claro e resumido, seguro (pdf), com poucas cores e imagens, em estilo uniforme e bem traduzido. Para Inglaterra, um CV deve conter dados essenciais e evitar foto, data de nascimento e género e é fundamental ter um ID de Skipe.

Não esquecer de incluir competências linguísticas, informáticas e passatempos ou ações de  voluntariado (algo que o empregador gosta de ver para conhecer a pessoa). Ludovica Piccinini deu a conhecer alguns sites bons para elaborar CV´s, como www.doyoubuzz.com e www.reed.co.uk/cvbuuilder , mais resumidos  que o site www.europass.eu.

Mais pormenores através de Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..